Dia 01 Quinta-Feira

Valéria Vilas Bôas defende tese sobre jornalismo e subjetividade

Das 14h no dia 01 de Janeiro de 1970 Faculdade de Comunicação da UFBA
Programa A Liga. Crédito: divulgação/Band.com.br

Programa A Liga. Crédito: divulgação/Band.com.br

Na próxima quinta-feira, 24 de maio, às 14 horas, no auditório do CEADD, na Faculdade de Comunicação, a pesquisadora Valéria Vilas Bôas defende a sua tese de doutorado, intitulada “Contar não é o mesmo que viver: jornalismo e subjetividade na atuação do repórter personagem na televisão brasileira contemporânea”.

A pesquisa foi orientada pela professora Itania Gomes (UFBA). Participam da banca de avaliação os professores Bruno Souza Leal (UFMG), Ana Carolina Escosteguy (UFSM), Jeder Janotti Jr. (UFPE) e Juliana Gutmann (UFBA).

Na tese, são analisados três programas: A Liga (Rede Bandeirantes), Profissão Repórter (Rede Globo) e O Infiltrado (History Channel). A autora argumenta que, por meio da performance de repórteres que vivenciam as situações que relatam, os programas parecem propor uma nova forma de legitimação do jornalismo contemporâneo que já não passa pelo discurso clássico da objetividade, mas se ancora numa perspectiva de partilha do pessoal.