Dia 01 Quinta-Feira

Tese de Thiago Ferreira analisa jornadas de junho de 2013

Das 14h no dia 01 de Janeiro de 1970 Sala 6A - FACOM/UFBA

Mídia Ninja é uma das produções analisadas na tese. Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=c7Ue71JDj2o

No dia 18 de abril, às 14 horas, na sala 6A da Faculdade de Comunicação da UFBA, Thiago Ferreira defende a tese intitulada “Transformações de políticas e afetos: contextualizando radicalmente o acontecimento junho de 2013 em fluxos audiovisuais”. Participam da banca a orientadora da pesquisa, Itania Gomes, os professores do Póscom/UFBA Jorge Cardoso Filho e Juliana Gutmann, o professor da Universidade Federal de Minas Gerais, Elton Antunes, e o professor da Universidade Federal de Uberlândia, Nuno Manna.

Partindo da concepção de acontecimento adotada por José Aidar Prado e Alain Badiou, o pesquisador busca compreender as transformações de políticas e afetos ocorridas a partir da contextualização radical das Jornadas de Junho de 2013 por meio da análise de fluxos audiovisuais, caracterizados como irruptivos, dialógicos, virais e hipertextualidades cognitivas, formas culturais do entorno tecnocomunicativo brasileiro. Partindo das compreensões de Grossberg, Ferreira propõe que as políticas devem ser compreendidas no plural e como complexas articulações entre Estado, corpos e vida cotidiana. E afetos como como modos de engajamento de corpos coletivos que são atravessados por humores, mapas de importância e emoções.

Para o pesquisador, realizar uma contextualização radical de um acontecimento significa recorrer a diversas formas políticas e conceituais para compreendê-lo. Ao analisar as disputas afetivas e políticas que se expressam nos fluxos audiovisuais investigados na articulação com as Jornadas de Junho, Ferreira identifica dois eixos de transformação: o surgimento de movimentos autonomistas que tensionam aspectos da política institucional e a presença irruptiva de corpos das diversas minorias políticas. Por fim, ele compreende que as disputas políticas e afetivas ensejadas desde Junho de 2013, dispostas no entorno, e expressas nesses fluxos audiovisuais, ajudam a contar melhores histórias tanto sobre a eleição de Bolsonaro quanto sobre a ocupação de espaços representativos por parlamentares ligados às minorias, ampliando as mudanças expressas por pessoas como Marielle Franco, abrindo brechas para outros futuros possíveis.