Dia 11 Segunda-Feira

Rede Historicidades promove webinar e lançamento de livro

Das 14h30 no dia 11 de Maio de 2020 YouTube

Nos dias 5, 12 e 19 de novembro, sempre a partir das 14h30, pesquisadores do TRACC participam de webinar realizado pela Rede Historicidades dos Processos Comunicacionais para lançar o livro “Catástrofes e crises do tempo: historicidades dos processos comunicacionais”, que está sendo publicado pelo Selo PPGCOM UFMG. As mesas do Webinar contam com a participação de autoras/es e podem ser acompanhadas pelo canal do Historicidades no YouTube.

O livro organizado por Jussara Maia (UFRB), Rachel Bertol (UFF) , Flávio Valle (UFOP) e Nuno Manna (UFU) reúne trabalhos desenvolvidos pela rede Historicidades em 2019, envolvendo 13 grupos de pesquisa nacionais de nove diferentes instituições de ensino e pesquisa. Dedicando-se às questões das catástrofes e crises a partir de diferentes perspectivas e observando uma diversidade de fenômenos da comunicação e do tempo, o livro se estrutura por cinco seções: “Catástrofe como categoria heurística”, “Catástrofe como memória nas mídias”, “Formas culturais e convenções em disputa”, “Cartografias temporais de gêneros e identidades”, “Tempo e experiência na apropriação do espaço urbano”.

Programação completa:

DIA 05/11

14h30′: MESA DE ABERTURA

Apresentação das/os organizadoras/es do livro

Jussara Maia, Rachel Bertol, Flávio Valle e Nuno Manna

Comentários da professora convidada Ana Carolina Escosteguy

15h40′: MESA 1 – CATÁSTROFE COMO CATEGORIA HEURÍSTICA

Catástrofe como figura de historicidade: um gesto conceitual, metodológico e político de instabilização do tempo

Bruno Souza Leal e Itania Maria Mota Gomes

A catástrofe como tragédia: da metonímia à sinonímia

Ana Paula Goulart Ribeiro, Igor Sacramento, Wilson Couto Borges, Alice Melo

Mediação: Elton Antunes

DIA 12 /11

14h30′: MESA 2 – CATÁSTROFE COMO MEMÓRIA NAS MÍDIAS

Narrativas midiáticas sobre ‘campos de concentração’ para crianças nos EUA: uma semântica da catástrofe

Ana Regina Rêgo, Marialva Barbosa, Márcio Gonçalves

Entre salto e sobressalto midiático: o tempo reincidente d’Os Sertões

Frederico de Mello B. Tavares, Rachel Bertol, Tess Chamusca

Aids e HIV como acontecimentos catastróficos e o evitamento da catástrofe: reflexões a partir de Caio Fernando Abreu e Herbert Daniel

José Henrique Pires Azevêdo, Carlos Alberto de Carvalho, José Antonio Ferreira Cirino, Vinícius Ferreira, Camila Fortes Monte Franklin, Izamara Bastos Machado, Edison Mineiro

Mediação: Rachel Bertol

16h00′: MESA 3 – FORMAS CULTURAIS E CONVENÇÕES EM DISPUTA

Sobre o jornalismo e sua crise: Pensar a credibilidade e a subjetividade jornalística pelo signo da catástrofe

Valéria Vilas Bôas e Igor Lage

Crises como fraturas no tempo: O cordel e o mercado editorial

Gislene Carvalho, Rafael Barbosa e Leandro Muller

Catástrofes sonoras: formas instáveis e experiências com podcast e audiolivro

Diogo França, Larissa Caldeira, Paula Janay e Rafael Barbosa

Catastrofizando balbúrdia e democracia no Brasil: Afetos e imaginação em torno do #15M e do #26M

Felipe Borges, Ítalo Cerqueira, João Bertonie e Thiago Ferreira 162

Tempos enredados em “AmarElo”, de Emicida

Daniela Matos, Denise Prado, Francielle de Souza, Juliana Gutmann e Phellipy Jácome

Mediação: Nuno Manna

DIA 19 /11

14h30′: MESA 4 – CARTOGRAFIAS TEMPORAIS DE GÊNEROS E IDENTIDADES

Bichas daninhas e a heteronormatividade em catástrofe: Cultura pop, performances e temporalidades

Caio Amaral da Cruz,  Edinaldo Araujo Mota Junior e Felipe Viero Kolinski Machado Mendonça

A catástrofe da LGBTIfobia: reflexões a partir do videoclipe Fiscal

Philippe Oliveira Abouid

Crianças trans youtubers –  gênero e o tempo em colapso

Elisa Bastos Araujo, Isabelle Chagas e Jussara Maia

Distopia na ficção seriada: entrelaçamentos temporais e misoginia em The Handmaid’s Tale

Patrícia D’Abreu, Ranielle Leal e Thalyta Arrais

Territorialidades e masculinidades em crise e catástrofe: disputas étnico-raciais em Baco e Djonga

Juliana Gonçalves, Daniel Farias e Rafael Andrade

Mediação: Jussara Maia

16h30′: MESA 5 – TEMPO E EXPERIÊNCIA NA APROPRIAÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Anacronismos do Rock: Pequenas crises a partir da banda Vovó do Mangue

Jorge Cardoso Filho e Pedro Júlio Oliveira

Crises do tempo na apreensão da cidade: Memória e imaginário em páginas do Facebook

Luciana Amormino, Ravena Sena Maia, Flávio Valle

Textualidades audiovisuais da cidade em crise: espaços e lugares em Aquarius, Inferninho e Paraíso Perdido

Flávio Valle, Nuno Manna, Rafael José Azevedo

Mediação: Flávio Valle